sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Capítulo 3 ( parte 7)

Fomos no quarto de tia Flórida e ela dormia. Bruna verifcou se ela ainda estava com febre, mas viu que já tinha passado.
Depois do almoço, fui atrás de meu celular. Tinha três novas mensagens. Uma de Hytallo, em que dizia:
" Bom dia, amiga! Não vai dar para eu ir a aula hoje. Minha mãe amanheceu meio mole, e vou ficar para cuidar dela. Espero que tenha um bom dia! Beijos, Ithinho."
A outra era de Carina:
" Minha Baba, que saudades de ti! Precisando conversar com você, sobre o Junior. Você me ligou, mas não estava em casa. E meu celular está mudo. Eu liguei para seu telelfone, mas estava desligado. Quando ver a mensagem, e puder, liga para o celular da minha mãe. Te amo *-*"
A última era de Géssica:
" Amiga, desculpa por ter sido meio chata hoje com você, mas é porque não amanheci legal. Me esforcei, mas não consegui melhorar meu estresse. Prometo amanhã estar bem melhor, Géssica."
Ainda tinha um pouco de crédito, então mandei uma mensagem para Carina, pedindo para ela me mandar um email, me informando as novidades, e o que ela queria conversar comigo, me justificando por não ligar para ela.
Acompanhei Bruna até a igreja, onde ela fazia crisma. Fiquei no lado de fora, escrevendo em meu diário, onde há tempos não escrevia:
" Nossa! Como faz tempo que não desabafo aqui! Andaram acontecendo tantas coisas na minha vida esses últimos dias, que não tinha tempo para agir. Acho que parei um pouco no tempo. Mas estou voltando de novo a andar, andar em círculos. Acho que vivi e sofri o sulficiente a dor do amor durante dois anos. Aquela dor aguda, que machuca tanto meu peito, como uma faca afiada. Hoje, meu coração está acelerando, batendo forte de novo, e de novo, com alguém que não servirá para mim."
Escrevi apenas isso, ao sentir uma pessoa em minhas costas. Quando me virei era Lucas. Ele estava com um sorriso no rosto, esperando meu convite para ele sentar ao meu lado.
- Oi, faz tempo que me observa? - eu perguntei.
- Ei cheguei, e você escrevia. Mas não se preocupa, não vi o que você colocou aí não!- ele disse.
Não queria mesmo que ele tivesse visto aquilo. Não que não confiava nele, mas porque era uma confidêsncia que não gostava de compartilhar com pessoas que não eram tão intímas de mim.
- Não, tudo bem. - eu falei.
- O que você faz em plena duas horas da tarde sentada aqui a porta da igreja? -ele me perguntou.
- Estou acompanhando minha prima na crisma.
- Ah, falando nisso, Racchel veio? Ela está melhor? - ele perguntou.
- Acho que sim. Pelo que Bruna me disse, ela deve estar. Tahuan foi deixá-la em casa, enquanto eu e Bruna seguimos a pé. Quando chegamos ela já dormia.
- Ah, sei. Mas vocês já se falam de novo?- ele perguntou.
- Ela te disse? - eu perguntei. Não sabia que eles eram tão próximos ao ponto dela falar isso.
- Sim, sim. eu sou a dupla dela na sala. Ela confia em mim, e me conta tudo.
- Então você deve saber que não estamos nos falando ainda.
- Ah, desculpa. - ele deve ter percebido que aquilo significou um basta naquela conversa.
- tudo bem. - eu respondi.
- Mas e aí. Você já tá com alguém daqui?
- Se eu estou ficando? - perguntei.
- Sim.
- Não, não. Aqui não tem quem faça meu estilo. - eu disse.
- Ah, bom. pensei que Diego fazia. - ele disse, irônico.
- Não, ele que não faz mesmo. Mas ainda faz mas do que você. - eu respondi no mesmo tom de voz dele.
Ele ficou em silêncio, mechendo no celular. Eu olhei incrédula, ele não percebia que eu queria ficar sozinha aqui?! Eu disse que tinha que ir na lan house. Apenas avisei a Bruna e fui lá. Era perto, na mesma rua.
Ao entrar, Carina já tinha me mandado o email, no qual dizia:

Amiga, que saudades de você! Não faz nem uma semana, e meu coração tá aqui aperriado de tantas coisas que andaram acontecendo aqui. Amiga, a Thaís está grávida! Nós duas vamos ser as madrinhas, como sempre prometemos uma para a outra! O Fernando ficou muito feliz, totalmente o contrário que eu pensva que aconteceria! Ela antes, querai abortar, mas eu e Fernando não deixamos, agora ela aceita a idéia, sabe! Eu estava com medo do que a mãe dela iria fazer, mas ela disse que lava as mãos, agora ele teria que dar um jeito de sustentar a criança, que ela sabia que a partir de agora, era adeus para as festas e tudo. Mas foi bom, melhor do que ela expulsa-la de casa, néh?
Sim, tenho uma coisa para te contar. O Junior saoube que você foi embora, e ficou louco amiga. Ele veio aqui em casa, chorando, dizendo que te amava, que você não deveria ter abandonado a gente. Pediu para eu te dizer que te amava muito, que ele agora estava arreependido por tudo que te fez, mas agora sabia que você era a pessao certa para ele, e tudo. Me perguntou qual era o numero do teu telefone, e onde você tava morando. Eu disse que ia te perguntar. Posso dar? Sim, e as novidades?
Saudades de minha amiga-irmãã! Te amo *-*


eu comecei a responde-la:

Ai amiga, que também estou morrendo de saudades de você. manda lembranças para todos aí. Fiquei muito feliz pela Thaís e Fernando. O filho vai nascer perfeito, porque eles dois é o casal mais lindo que conheço no mundo.Diga a ela que se ela perder nosso afilhado, tentar tira-lo dela, ela vai ver!
Amiga, lembra que você me prometeu que ele viria atrás, que o Junior vinha e eu nem ligaria mais? é o que tá acontecendo agora ne? ainda bem que ele reconhece, mas eu não ligo mais amiga. Agora, quem irá chorar será ele. Ele vai se humilhar tanto, que nem pena eu terei dele! vc não dá meu numero não. deixa ele ficar te aperriando bem muito viu!
amiga, agora acho que estou me apaixonando por um menino aqui. mas ele tem fama de ser um cara que não vale apena, bem pior que o Junior. mas vai ser passageiro, né? assim espero!
mas e você? como tá tua relação com o Denis? tudo já se resolveu? manda beijos para ele, meu cunhado preferido!
saudades, te amo!


Quando terminei, saí logo, e lá vinha Bruna, acompanhada de Gaby.
- Oi Gaby! - eu disse.
- Oi linda! Tudo bom?- ela respondeu.
- Sim, sim. E com você?
- Tudo.
Seguimos conversando bobagens. Ao chegar, fui arrumar a cozinha, enquanto Bruna arrumava a sala. Tia Flórida estava bem já. Ela assistia tv na sala com Racchel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário